sábado, 24 de março de 2018

Mais Andy / Série do Momento #7.

Quem é que ainda não ouviu falar da "La Casa de Papel"?! O mais recente sucesso da Netflix conta a história de um assalto à Casa da Moeda espanhola executado por oito bandidos especializados nas mais diferentes áreas do crime. O cérebro da operação é o enigmático Professor que planeou o golpe até ao mais ínfimo pormenor. Bem, pelo menos, ele pensava que sim...
À primeira vista, esta série tinha tudo para me agradar. Afinal, é um policial e eu adoro assistir a um bom crime. No entanto, o facto de ser uma série espanhola deixou-me um pouco reticente. Eu não sou grande fã da língua e a verdade é que também sou um pouco céptica com tudo aquilo que não é produzido em francês ou inglês. Felizmente, decidi dar-lhe uma oportunidade e a experiência não poderia ter sido mais positiva. O enredo é fantástico, cativante e carismático e a história, bem, tem tudo! Há partes engraçadas, outras mais românticas, mas também tem uma pitada de suspense e de acção. É impossível não criarmos empatia com certas personagens e eu adoro o Denver! Por outro lado, a inspectora podia ter o pulso mais firme. A primeira temporada conta com treze episódios, episódios esses que devorei em meia dúzia de dias, e a continuação vai para o ar já no dia 6 de Abril.

E vocês, já se renderam à "La Casa de Papel"? Se sim, qual é a vossa personagem favorita?

quarta-feira, 7 de março de 2018

Cosmética / Produtos Acabados #42.

Tenho que vos confessar uma coisa: 2017 não foi o ano em que cuidei mais da minha pele, antes pelo contrário. O facto de ter passado grande parte do tempo em casa e depois ter começado a acordar muito cedo fez com que a quantidade de maquilhagem usada passasse de pouca para quase nenhuma. Por consequência, não senti tanta necessidade de ter uma rotina facial tão elaborada, o que fez com que o número de produtos terminados reduzisse drasticamente. No entanto, tenho alguns para vos mostrar e é isso que hoje venho partilhar com vocês.

- Creme de Olhos: Hydraphase, Intense Olhos | La Roche-Posay.
Os cremes para os olhos cuja textura é em gel prometem todos o mesmo: hidratar, descongestionar e atenuar a zona das olheiras. Na minha opinião, são poucos os que efectivamente resultam e o da LRP era um deles, ainda que os efeitos fossem bastante subtis.
Preço: ~ 18€/15 ml
Voltaria a comprar? Talvez.
Onde comprar? Nas farmácias.
Pontuação: ♥♥♥♥♥ ♥♥ {7/10}
- Creme Facial: Blemish Control | Kiehl's.
Quem tem uma pele com tendência a ter borbulhas, sabe a importância do ácido salicílico e de outras moléculas que agem contra o acne. Eu sou sincera, regra geral, não costumo gostar de cremes cujo ingrediente-chave é exactamente esse ácido. No entanto, o Blemish Control revelou-se uma valente surpresa. As minhas espinhas diminuíram e a tez ficou muito mais uniforme. Infelizmente, o mesmo foi reformulado e apelidado de Breakout Control, pelo que não vos consigo garantir se a qualidade se mantém e se continua a ser merecedor do investimento.
Preço: 31€/30 ml
Voltaria a comprar? Sim.
Onde comprar? Nas lojas Kiehl´s ou online.
Pontuação: ♥♥♥♥♥ ♥♥♥♥ {9/10}
- Sérum Facial: Booster, Low-Molecular HA | Hylamide. (x2)
[Review] Eu adoro séruns e o BLMHA foi um dos melhores que já experimentei para reforçar a hidratação cutânea. Não é muito caro e até é relativamente fácil de arranjar. Recomendo!
Preço: ~ 22€/30 ml
Voltaria a comprar? Sim!
Onde comprar? Apenas online: MaquibeautyEscentualBoots, etc.
Pontuação: ♥♥♥♥♥ ♥♥♥♥ {9/10}
- Tónico Adstringente: Ultra Facial Oil-Free, Toner | Kiehl's.
Não sei se se lembram, mas, na altura em que descobri a existência da Kiehl's, decidi investir nos três produtos da linha UFOF. O tónico foi, sem dúvida, o meu favorito. É levezinho, não tem álcool e cumpre a sua função, já para não falar que rende imenso e tem um cheiro super agradável. Gostei muito, apesar de achar que o preço é um pouco elevado para o artigo em questão.
Preço: 20€/250 ml
Voltaria a comprar? Sim.
Onde comprar? Nas lojas Kiehl´s ou online.
Pontuação: ♥♥♥♥♥ ♥♥♥ {8/10}
Na minha opinião, papéis matificantes dão sempre jeito ter na carteira. Os Tea Tree Blotting Tissues da The Body Shop tinham óleo de melaleuca na sua composição, mas já foram descontinuados. Por outro lado, os Blotting Papers da KIKO eram os que tinham mais folhas, folhas essas que vinham com pó matificante incluído, uma bolsa de plástico para as proteger e que se tornaram nas minhas preferidas. Já os All About Matt! Oil Control Paper da Essence, além de serem os mais baratos, eram também os mais básicos, não tendo nenhuma propriedade extra adicionada. Quanto às bandas faciais de cera fria, eu confesso que é um campo que ainda não explorei muito. No geral, todas são relativamente eficazes a remover o pêlo, mas, infelizmente, não há nenhuma que não me faça alergia, sejam elas da Auchan, da Bonté ou até mesmo da Veet.
E vocês, gostavam de testar algum destes produtos?

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Mais Andy / 5 Resoluções - 2018.

Eu sei, eu sei, o segundo mês do ano já vai quase a meio, mas eu penso que nunca é tarde para partilhar com vocês alguns dos meus planos para 2018. Bem, pelo menos, os mais importantes.
- Viajar, é esse o meu grande objectivo para este ano. No ano passado, tive oportunidade de sair do país várias vezes e, este ano, espero também conhecer alguns sítios novos, mais concretamente cinco países diferentes. Um já está (Turquia), faltam os outros quatro. Ainda não tenho nenhuma viagem marcada, apenas sei quando me posso ausentar e que destinos gostava de visitar. 

- Eu sou uma pessoa naturalmente desorganizada e, por isso, organizar melhor o meu tempo é capaz de ser o maior desafio a que alguma vez me propus. A verdade é que eu tenho horas disponíveis para conciliar todos os meus afazeres diários, mas a má gestão do tempo e a minha vontade de preguiçar acabam por falar mais alto, fazendo com que prescinda dos meus hobbies. Como devem calcular, esta situação não me deixa propriamente contente, pelo que é algo que eu planeio mesmo alterar.

- A nível pessoal, há certos aspectos da minha vida que eu tenciono melhorar. Por exemplo, pretendo cuidar mais e melhor de mim, estar mais vezes com as pessoas que me são próximas e, essencialmente, dizer não a coisas que não quero nem tenho que fazer.

- Em relação ao blog, quero implementar novas ideias, reestruturar algumas rubricas já existentes e estar mais presente nas redes sociais. Não vai ser fácil, tendo em conta que o conteúdo que eu publico demora várias horas a ser produzido, mas tenho a certeza que vou conseguir organizar-me nesse sentido.

- Por fim, e como não poderia deixar de ser, quero continuar a trabalhar no projecto "30 Antes dos 30" e ver as minhas metas a serem atingidas.

E vocês, quais são os vossos objectivos para 2018?

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Cinema / Filmes da Semana #63.

Na minha opinião, 2017 não foi dos anos mais ricos a nível de estreias cinematográficas e, comparando com os anos anteriores, poucos foram os títulos que me levaram ao grande ecrã. No entanto, houve alguns que se destacaram e, se eu tivesse que escolher os meus favoritos, sem dúvida que elegeria "A Bela e o Monstro", o Barry Seal e "A Montanha Entre Nós". Pelo meio, estreou mais um filme da saga Star Wars que, para ser sincera, não vi e "O Grande Showman" que também ainda não tive oportunidade de assistir. Por outro lado, houve várias histórias que foram reinterpretadas ou que simplesmente continuaram, como, por exemplo, "A Múmia", os "Transformers: O Último Cavaleiro", "Baywatch: Marés Vivas", o "Planeta dos Macacos: A Guerra" e o "Homem-Aranha: Regresso a Casa", sendo que este último destacou-se por, finalmente, ter um actor principal digno de desempenhar o papel em questão. O "Baby Driver: Alta Velocidade, "O Guarda-Costas e o Assassino" e o "Assassino Americano" também são três filmes que vos aconselho a ver, principalmente se gostarem de uma boa dose de acção. Já "A Torre Negra" e o "Geostorm: Ameaça Global" não acrescentam nada de novo, ainda que sejam capazes de prender o espectador.

- Barry Seal: Traficante Americano
Classificação (IMDb): 7.2/10 ★ Género: Acção ★ Classe Etária: M12 ★ Duração: 115 min.
Sinopse (SAPO Mag): "Baseado na história real de Barry Seal, um piloto de aviação oportunista, que inesperadamente recrutado pela CIA, nos anos 80, para realizar uma das operações mais secretas da história dos Estados Unidos."
Recomendo? Tal como vos disse na introdução, o Barry Seal foi um dos melhores títulos que vi em 2017. O motivo é simples: a história, além de ser cativante e super interessante, está retratada de uma forma divertida e diferente do normal. O facto de ser inspirada em factos verídicos é um bónus que faz com que aconselhe este filme a toda a gente, principalmente a quem tiver curiosidade com a vida de Pablo Escobar.

- Girls Night
Classificação (IMDb): 5.2/10 ★ Género: Comédia ★ Classe Etária: M14 ★ Duração: 101 min.
Sinopse (SAPO Mag): "Uma comédia picante que gira em torno da reunião de cinco melhores amigas do tempo da escola, 10 anos mais tarde, para uma despedida de solteira selvagem em Miami. A festa louca sofre uma reviravolta inesperada quando as cinco amigas matam acidentalmente um stripper."
Recomendo? O Girls Night é aquela típica comédia descontraída, com partes engraçadas, outras mais mexidas e até tem uma pitada de originalidade, particularidade essa que faz com que seja uma das melhores comédias que vi nos últimos tempos e uma óptima opção para uma tarde entre amigos. É certo que foi pensada para o público feminino, mas tenho a certeza que é capaz de agradar a qualquer tipo de audiência.

- Guardiões da Galáxia 2
Classificação (IMDb): 7.7/10 ★ Género: Acção/Aventura ★ Classe Etária: M12 ★ Duração: 136 min.
Sinopse (SAPO Mag): "«Guardiões da Galáxia 2», da Marvel, continua a acompanhar as aventuras da equipa enquanto atravessa os limites do cosmos. Os Guardiões devem lutar para manter a sua família recém-descoberta unida, enquanto tentam desvendar o mistério do verdadeiro parentesco de Peter Quill. Antigos inimigos tornam-se novos aliados e as personagens favoritas das bandas desenhadas clássicas irão ajudar os nossos heróis, continuando a expansão do Universo Cinematográfico Marvel."
Recomendo? É impossível opinar acerca do GG2 sem pensar no seu antecessor e, para mim, conseguiu manter-se dentro dos padrões de qualidade que a Marvel já nos habituou. Mais uma vez, a película conta com personagens carismáticas, efeitos visuais fantásticos, tanto que está nomeada para um Óscar nessa mesma categoria, e um argumento super cativante, ainda que mais adulto que o da sua prequela. Muito bom, gostei!

- Mulher-Maravilha
Classificação (IMDb): 7.5/10 ★ Género: Acção/Aventura ★ Classe Etária: M12 ★ Duração: 141 min.
Sinopse (SAPO Mag): "Antes de ser a Mulher-Maravilha, era Diana, a princesa das Amazonas, treinada para ser uma guerreira invencível. Criada numa ilha paradisíaca protegida do mundo exterior, é quando um piloto americano que cai nas suas águas e fala sobre o enorme conflito que acontece no mundo, Diana deixa a sua casa, convencida que pode parar essa ameaça. A combater ao lado de homens numa guerra para acabar todas as guerras, Diana irá descobrir a capacidade máxima dos seus poderes... e o seu verdadeiro destino."
Recomendo? Numa era em que tanto se fala do poder feminino, é de estranhar que a Mulher-Maravilha só tenha chegado ao grande ecrã no ano passado. Eu confesso que não me importei nada de esperar. A história não desiludiu e os actores escolhidos também não. Fãs de super-heróis, preparem-se, têm mais um título porreiro para verem!

- Valerian e a Cidade dos Mil Planetas
Classificação (IMDb): 6.5/10 ★ Género: Ficção Científica ★ Classe Etária: M12 ★ Duração: 147 min.
Sinopse (SAPO Mag): "Valerian e Laureline são dois agentes especiais do governo dos territórios humanos e têm o dever de manter a ordem no universo. Apesar disso, Valerian deseja algo mais que uma relação estritamente profissional com a sua colega - perseguindo-a abertamente com propostas românticas. No entanto, o seu historial com mulheres e os valores tradicionais dela, levam a que Laureline o rejeite continuamente. Sob as ordens do seu comandante, Valerian e Laureline embarcam numa missão até à majestosa cidade intergaláctica de Alpha, uma metrópole em constante expansão e cuja população é formada por milhares de diferentes espécies dos quatro cantos do universo. Ao longo do tempo, os dezassete milhões de habitantes de Alpha têm-se unido, combinando as suas habilidades, tecnologias e recursos para o bem colectivo. Infelizmente, nem todos os que vivem em Alpha partilham estas visões e objectivos. Na verdade, forças ocultas estão a trabalhar contra elas, colocando a humanidade em grande perigo."
Recomendo? Muito se falou acerca desta película, e com razão! À primeira vista, o Valerian é um filme como tantos outros, passado no espaço e tudo mais, mas não: o guião ter vários pormenores que o destacam dos restantes títulos do mesmo género. Recomendo!

HOT da Semana: "Barry Seal: Traficante Americano"
NOT da Semana: -

E vocês, quais foram as tramas que mais gostaram de ver no ano passado?

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Mais Andy / Story Time - O Meu Primeiro Acidente de Carro!

2017 foi um ano incrível, onde consegui realizar quase todos os objectivos que tinha delineado no início do ano. Viajei muito, explorei cidades de cinco países diferentes, incluindo algumas de Portugal. Comecei um doutoramento, desisti no mês seguinte e voltei a iniciar um projecto académico, projecto esse que se adequa a mim e ao que eu pretendo fazer da minha vida. Pelo meio, fui a vários eventos enquanto blogger e colaborei com algumas marcas que nunca antes tinha trabalhado. Infelizmente, fui também ao meu primeiro funeral e tive um acidente de carro, uma experiência totalmente nova para mim e que não correu como o esperado. Bem, pelo menos, numa primeira etapa e é isso que hoje venho partilhar com vocês.
Antes de vos contar como foi toda a história do acidente, deixem-me por-vos a par da minha condução: eu não gosto de conduzir, mas até acho que não me safo mal. Ando a uma velocidade que eu chamo de segura e controlada e que, para a maioria das pessoas, é capaz de ser um pouco lenta. Ora no dia em questão, tinha chovido um pouco, mas nada de especial. Também não era uma hora de muito trânsito. Basicamente, passei a seguir ao almoço numa via com prioridade e reparei num veículo que tinha ar que não ia respeitar o seu sinal de STOP. Eu ainda buzinei e travei, mas, mesmo assim, ele bateu-me no lado direito do carro. Até aqui tudo bem, pensei eu. A situação era simples de perceber, não havia dúvidas do que tinha acontecido e só precisávamos de assinar a declaração amigável de acidente. Os problemas começaram quando um dos senhores saiu da viatura, olhou para mim e pensou que eu seria um alvo fácil de enganar. Primeiro disse que a culpa era minha, que eu é que lhe tinha batido e que ele estava parado. Obviamente, eu não me fiquei e respondi que não era bem assim e que ele é que devia ter respeitado o sinal de STOP. Ele continuou a teimar, até que apareceram imensos populares que ficaram do meu lado e disseram que o senhor se estava a tentar aproveitar do facto de eu ser nova e ter um aspecto ainda mais jovial. O passo seguinte foi chamar a polícia, um filme que eu nunca pensei que fosse acontecer. Tentei ligar para a esquadra da zona do acidente e eles não atenderam. Tentei duas, três vezes e nada! Decidi ligar para o 112 e, assim que disse que não havia feridos, mandaram-me ligar para um outro número, número esse que me pôs em espera e nunca respondeu. Entretanto, saíram mais dois senhores do carro e os três continuaram a barafustar até que se aperceberam que eu não ia desistir de contactar a polícia. Aí começaram a dizer que o meu carro estava óptimo e que tinha sido apenas uma leve batida, batida essa que se resolvia com uns pozinhos mágicos quaisquer. Nesta altura, eu ainda não tinha saído do meu carro e, mal o fiz, apercebi-me que ele estava tudo menos óptimo. Os dois faróis do lado direito estavam deslocados, já para não falar do pára-choques que ficou todo arranhado. Ora, o meu veículo é novo e, como é óbvio, eu não queria nenhuns pós milagrosos. Queria sim que ele voltasse para a oficina e saísse impecável, tal como estava antes do acidente. Entretanto, um dos populares conseguiu comunicar com a polícia, mas as notícias não eram boas: não havia nenhuma brigada de trânsito disponível, pois a única existente tinha sido chamada para um atropelamento e eu tinha que esperar. Assim foi, esperei e esperei bastante! O trânsito começou a ficar caótico, a esquadra recebeu cada vez mais chamadas a pedirem auxílio e, inclusive, apareceu uma brigada para tentar, sem grande sucesso, acabar com o problema. Assisti a uma cena de good cop, bad cop e tive muita paciência. No final, mais de 2h30 depois, a polícia de trânsito chegou, resolveu a ocorrência em dois minutos (literalmente) e pronto... Ficou tudo bem!

Nisto tudo, aprendi duas coisas: há muito mais gente do que eu pensava a tentar aproveitar-se da ingenuidade e da boa vontade dos jovens e a polícia nem sempre está lá quando precisamos. Toda esta situação do tempo de espera podia-se ter tornado muito mais complicada se não existissem tantos populares na rua aquela hora.

E vocês, já passaram por uma situação destas? Se sim, como resolveram?