segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Mais Andy / Story Time - O Pior Voo da Minha Vida!

Como alguns de vocês devem saber, há quatro dias atrás, quatro centenas de portugueses ficaram retidos no aeroporto de Punta Cana e eu fui um dos afectados. Infelizmente, o avião que me ia levar de volta a Lisboa teve uma avaria e hoje vou dar-vos a minha visão dos acontecimentos, um ponto de vista de alguém calmo que viu imensa gente a chegar quase ao limite! Se não sabem do que estou a falar, então, recomendo-vos a ler o artigo que saiu no Jornal de Notícias. Sim, fomos capa do jornal!
Ora bem, vamos começar pelo início. Eu tinha o voo marcado para as 23h45 de Punta Cana, pelo que cheguei ao aeroporto por volta das 21h15. O aeroporto é bastante pequeno e todo o trajecto entre o despachar das malas e o embarque correu dentro do normal e foi feito às horas previstas, sendo que os problemas começaram dentro do avião. Eu não sei se têm por hábito viajar, mas, em algumas companhias, é passado um filme com as regras do avião e o que fazer em situações de emergência. Bem, digamos que o filme não chegou ao fim. As televisões foram abaixo e pouco tempo depois o comandante informou que havia um problema com a válvula do combustível e que iriam chamar um técnico para averiguar a gravidade do mesmo. O tempo foi passando, os técnicos chegaram, analisaram a situação e o comandante anunciou que se iria proceder ao desembarque, uma vez que o problema era mais grave do que pensavam. Eram aqui cerca de 01h15 da manhã (em Portugal, 06h15). Fomos, então, reencaminhados para a zona dos embarques, onde ficámos horas a fio sem nenhuma explicação. Não apareceu nenhum representante do operador (Jolidey) nem ninguém da tripulação para falar connosco. As únicas pessoas que nos tentaram ajudar eram funcionários do aeroporto que nada tinham a ver com o caso, mas que ficaram a fazer horas extra por nossa causa. E aqui, meus amigos, eu senti vergonha de estar envolvida nesta odisseia. Alguns passageiros começaram a insultar um dos funcionários, gritando e chamando os piores nomes que podem imaginar, tanto que o deixaram a chorar. Digam-me, que raio de atitude foi esta? Atacarem as únicas pessoas que nos tentaram ajudar, pessoas essas que nada tinham a ver com o voo. Este rapaz fez um turno de 24h por nossa causa!

Às 3h da manhã, foram-nos oferecidas garrafas de água e, posteriormente, dado a escolher entre um croissant e uma sandes e também que refrigerante queríamos beber. É de salientar que todas as lojas estavam fechadas e, por isso, não havia nenhum sítio onde pudéssemos comer ou até mesmo passar tempo. Entretanto, e ainda sem notícias do avião, começou-se a falar da possibilidade de irmos para um hotel até termos informações acerca do voo. Nesse momento, inúmeras pessoas revoltaram-se a dizer que queriam ir para Portugal, pois tinham coisas importantes a fazer. Eu admito, a situação do hotel também era um pouco ingrata. Supostamente, às 10h íamos saber se tínhamos voo ou não e, se a resposta fosse positiva, a descolagem ia ser feita, em princípio, 4h depois. Ainda assim, e analisando toda a situação, tinha sido a decisão mais sensata a tomar. Pouco tempo depois, foi-nos dito que o avião já estava arranjado e que nos faltava uma tripulação, tripulação essa que iria ser substituída às 05h50 e aí, sim, podíamos dar início ao nosso voo de regresso.

Chegou, então, a altura do segundo embarque e qual não foi o nosso espanto quando nos apercebemos que a tripulação era a mesma. Os ânimos exaltaram-se de tal forma que o comandante ameaçou que ia chamar a polícia. Às 06h45, o comandante anunciou que ele e o resto da tripulação não tinham autorização para voar, pois já tinham excedido o número de horas de trabalho e que a ANAC não permitia que eles fizessem horas extra. Foi-nos então proposto ficar no avião à espera de uma tripulação espanhola que tinha chegado nesse dia a Punta Cana e ainda estava no seu período obrigatório de descanso ou ir outra vez para a zona dos embarques fazer tempo enquanto essa tripulação não chegava. Nós optámos por ficar no avião juntamente com a tripulação portuguesa que nos serviu água e o pequeno-almoço e ficou connosco até à chegada da nova tripulação. Por volta das 10h da manhã, chegou então a nova tripulação e o avião levantou voo cerca de trinta minutos depois. E se pensam que ficamos por aqui, estão muito enganados! Já a mais de meio do voo, foi-nos então dada uma má notícia juntamente com toda a explicação do sucedido: basicamente, o avião teve um problema num motor, problema esse que foi remendado e, por isso, era mais seguro voar próximo da costa americana e canadiana em vez de cruzar o Atlântico, fazendo com que um trajecto de 7h passasse a 10h30. O avião não estava preparado a nível de comida para tantas horas de voo, mas, ainda assim, foi-nos servida uma refeição principal, uma sandes e líquidos sempre que solicitados. Às 20h30 de Punta Cana (01h30 de Portugal), aterrei então em Lisboa e, pronto, correu tudo bem! O voo foi super tranquilo, ainda que demorado, e tanto os funcionários do aeroporto como as duas tripulações foram simpáticas e prestáveis. 

Durante estas horas vi muita gente a chegar ao limite, pessoas que tiveram quebras de tensão, ataques de pânico e faltas de ar, ambulâncias e médicos a serem chamados e nem toda a gente embarcou. Houve quem preferisse ficar em terra. Infelizmente, assisti a inúmeras faltas de respeito por parte dos passageiros não só para com os funcionários, mas também para com as outras pessoas. Acreditam que o senhor que estava atrás de mim achava super normal a criancinha dela andar aos pontapés às cadeiras da frente?! Incrível, e depois ainda teve a lata de dizer que já estava ali há imenso tempo. Pois, e nós também! Enfim...

E vocês, já passaram por alguma situação do género?

sábado, 29 de julho de 2017

Moda / Look ao Sábado #14 - Aqua Fun.

Eu sou fã de parques de diversões e, para comemorar o meu aniversário, decidi ir a três. Bem, a ideia inicial era ir apenas ao Aquashow, mas depois surgiu a oportunidade de ir a mais dois (Isla Mágica e Aqua Mágica) e, claro, eu não disse que não! A verdade é que escolher a roupa para ir a um parque de diversões, principalmente se tiver a componente aquática, não é fácil e, por isso, hoje venho-vos dar algumas dicas para que possam aproveitar o parque ao máximo.
No que diz respeito à roupa, a palavra de ordem é praticidade. Esqueçam as peças elaboradas e os vestidos bonitinhos, o que vocês precisam é de um bom par de calções. Além de serem frescos e confortáveis, os calções garantem que não se vê nada intimo nas montanhas-russas e noutras diversões em que precisam de ir com as pernas abertas. Se o parque que vocês escolherem tiver a componente aquática mesmo que não seja em todos os carrosséis, não se esqueçam de levar o vosso biquíni ou fato-de-banho favorito. Se o parque tiver imensos escorregas de água, eu aconselho-vos a optarem por um fato-de-banho. As razões são muitas: não precisam de vestir mais nada por cima, nem de compor com tanta frequência o fato-de-banho e, claro, eles estão na moda por serem mais elegantes e terem a particularidade de modelar o corpo, disfarçando a zona da barriga. A única desvantagem é mesmo a ida à casa de banho. Quanto aos sapatos, os ténis são ideais para os parques terrestres e, se forem a um parque misto ou totalmente aquático, levem qualquer calçado de praia que não saia facilmente do pé. A nível de acessórios, se optarem por um parque aquático, deixem tudo em casa. A sério, tudo! Não vale a pena levarem brincos, pulseiras, colares e anéis, pois os empregados vão-vos pedir para tirarem tudo. Se forem a um parque terrestre, apenas sugiro que seleccionem peças minimalistas que não correm o risco de ficar presas em algum lado. Por fim, não descuidem da protecção solar! Eu sei que não vão estar propriamente parados num sítio a apanhar banhos de sol, mas a verdade é que ir a um parque de diversões implica um contacto directo com os raios solares e não são poucas as pessoas que apanham escaldões exactamente por ignorarem a protecção solar. 

Quanto à comida, há parques que proíbem o cliente de trazer grandes refeições, mas nunca vi ninguém a ser chamado a atenção por levar consigo pequenos snacks e garrafas de água. Aliás, beber água é mesmo fulcral e é algo que vocês devem fazer com regularidade. Eu já fui a nove parques espalhados por três países diferentes e todos eles tinham sítios para comer. Como devem calcular, os preços são bastante inflacionados para a qualidade da comida e as opções também não são as mais saudáveis nem variadas. É tudo à base de hambúrgueres, pizzas, cachorros-quentes e baguetes.

E vocês, também são fãs de parques de diversões. Se sim, qual é o vosso favorito?

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Sweet 27! ♥

"O tempo passa a voar" é possivelmente a frase mais cliché de sempre, mas sabem que mais: é verdade e hoje é outra vez o meu dia! Eu estou super entusiasmada, como sempre, e ainda não foi desta que perdi o gosto de soprar as velas. Bem, verdade seja dita, é raro ter um bolo de aniversário, mas vocês entendem o que eu quero dizer. Se há uns anos atrás me dissessem como ia ser a minha vida com 27 anos, eu não acreditava. Não que tivesse grandes planos, pois eu nunca fui de estabelecer metas a longo prazo, mas acho que toda a gente já imaginou como iria ser o seu futuro. Na altura, eu diria que o meu passava por uma vida nómada, rodeada de amigos e com uma família formada e, de facto, atingi todos esses objectivos, mas a meio gás. No entanto, vi muitos outros concretizados e a verdade é que me sinto feliz e isso é o mais importante. Não importa que os anos passem, o que importa é o que fazemos com eles! Bem, já sabem, podem acompanhar o meu dia através do Instagram e muito obrigada por estarem desse lado há seis anos consecutivos! ♥ Gosto muito de vocês e deste pequeno cantinho que tenho na Internet.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Maquilhagem / Unhas de Gel - Inspiração #3.

Amanhã é dia de fazer a manutenção das unhas de gel e vai ser uma manutenção especial. É a véspera do meu aniversário e eu quero que as minhas unhas estejam especialmente bonitas. Inicialmente, tinha pensado em fazer algo simples: manicura francesa ou, simplesmente, pintá-las de cor-de-rosa. Para dar um toque mais pessoal, ia optar por colocar alguns brilhantes, um detalhe que eu adoro e que me caracteriza imenso. No entanto, também gosto de unhas mármore e com pequenas flores. As cores são meramente ilustrativas, não tenciono usar os mesmos vernizes, mas digam-me: qual é a manicura que gostam mais?
Quanto aos planos para o meu aniversário, bem, vou passar o fim-de-semana no Algarve e o meu dia vai ser num parque aquático. Ainda não sei qual, mas, se quiserem acompanhar-me, sigam o meu Instagram! Eu vou tentar fazer vários InstaStories ao longo do dia.

sábado, 15 de julho de 2017

Cosmética / Produtos Acabados #41.

Verão é sinónimo de pele bronzeada e depilação cuidada, pelo que há um certo número de produtos que começam a ser mais usados nesta altura do ano e um deles é, sem dúvida, o esfoliante corporal. É também nesta altura que devemos investir mais no cabelo, afinal ele também sofre com a exposição solar, o sal do mar e o cloro das piscinas. Com base nisso, decidi partilhar com vocês a minha opinião acerca de alguns esfoliantes e produtos de cabelo que terminei nos últimos tempos.

- Esfoliante Corporal: Himalaya Wisdom | Rituals.
A Rituals é uma excelente marca, com produtos fantásticos e cheiros ainda melhores. Até agora, nenhum me desiludiu e o Himalaya Wisdom não foi excepção. As partículas, em forma de sal, eram suficientemente abrasivas para esfoliarem a minha pele de forma rápida e eficaz e o aroma fresco a menta e manjericão torna-o numa óptima opção para o Verão, apesar de eu o ter acabado no ano passado em Inglaterra. O meu esfoliante veio num kit com outros artigos da linha cor-de-rosa e, por isso, era uma miniatura com 100 g que não se encontra à venda em separado. Caso estejam interessados, o Himalaya Wisdom foi rebaptizado de Himalaya Scrub.
Preço: 19.50€/450 g
Voltaria a comprar? Sim.
Onde comprar? Na Rituals.
Pontuação: ♥♥♥♥♥ ♥♥♥ {9/10}
- Esfoliante Corporal: Honeymania | The Body Shop.
No que diz respeito aos esfoliantes, a The Body Shop oferece inúmeras texturas com diferentes graus de esfoliação. Uns mais eficazes do que outros e, infelizmente, o da linha Honeymania não correspondeu às minhas expectativas. A sua textura espessa e nutritiva tinha poucos grãos, grãos esses que não cumpriram a sua função. No geral, a única coisa positiva foi mesmo o seu aroma floral com um toque de mel, mas, como esfoliante, a experiência foi fraquinha.
Preço: 5€/50 ml ; 14€/200 ml
Voltaria a comprar? Não.
Onde comprar? Na The Body Shop.
Pontuação: ♥♥♥ {3/10}
- Máscara Capilar: Gliss, Million Gloss, 10 Dias de Brilho | Schwarzkopf.
Eu não sou grande fã das máscaras do supermercado. Mesmo fazendo o cronograma capilar, acho que a maioria não supera um condicionador e esta da linha Million Gloss da Gliss não fugiu à regra. Não odiei, mas também não me surpreendeu nem voltaria a comprá-la.
Preço: ~ 7€/150 ml
Voltaria a comprar? Não.
Onde comprar? Nos hipermercados.
Pontuação: ♥♥♥♥♥ ♥ {6/10}
- Máscara Capilar: Nativa SPA, Frutoterapia, Monoï & Argan | O Boticário.
[Review] O Boticário tem excelentes artigos capilares e esta máscara era realmente boa. Eu usei-a e terminei-a em Londres, uma cidade onde a água é rica em calcário e cujo próprio clima não ajuda a manter o cabelo saudável. Gostei!
Preço: 12.99€/250 g
Voltaria a comprar? Sim.
Onde comprar? N'O Boticário: lojas físicas, online ou por catálogo.
Pontuação: ♥♥♥♥♥ ♥♥♥ {8/10}
- Sérum Capilar: BC, Repair Rescue, Sealed Ends | Schwarzkopf.
[Review] O RRSE é meu favorito desde 2011 e é um bom exemplo de um sérum caro que vale a pena o investimento, pois uma embalagem dura séculos. Esta é a segunda vez que o despacho e, se encontrar, vou voltar a apostar na edição especial de 150 ml ao invés da normal que apenas contém 75 ml.
Preço: ~ 15€/75 ml
Voltaria a comprar? Sim.
Onde comprar? Nas lojas profissionais de cabeleireiro.
Pontuação: ♥♥♥♥♥ ♥♥♥♥♥ {10/10}
E vocês, que cuidados especiais têm no Verão?